Psoríase

psoriase

Psoríase é uma doença de pele crônica e autoimune, bastante comum, caracterizada por lesões avermelhadas e descamativas, que aparecem em forma de placas. É comum que apareçam no couro cabeludo, cotovelos e joelhos, nos pés, nas mãos, unhas e região genital. A extensão da doença varia de pequenas lesões localizadas até o comprometimento de toda a pele.

Não é contagiosa e pode ser recorrente. Pode apresentar formas leves e facilmente tratáveis ou, em casos raros, levar à incapacidade física ao acometer as articulações.

Tipos de Psoríase

Psoríase Vulgar ou em placas – É o tipo mais comum, caracterizada por lesões de tamanhos variados, delimitadas e avermelhadas, com escamas secas esbranquiçadas ou prateadas. Costumam aparecer no coro cabeludo, joelhos e cotovelo. Podem coçar, causar dor e atingir todas as partes do corpo, inclusive genitais e dentro da boca. Em casos mais graves, a pele ao redor das articulações pode rachar e sangrar.

Psoríase Invertida – Aparece em forma de manchas inflamadas e vermelhas que atingem, principalmente, as áreas úmidas do corpo, como axilas, virilhas, embaixo dos seios e ao redor dos órgão genitais.

Psoríase Gutata – Esse tipo da doença é mais comum entre crianças e jovens com menos de 30 anos. Geralmente é desencadeada por infecções bacterianas. Caracterizada pela formação de pequenas feridas em forma de gota, que ficam cobertas por uma fina escama. Costumam aparecer no tronco, pernas, braços e couro cabeludo.

Psoríase Ungueal – Afeta os dedos e unhas das mãos e dos pés. Essa doença faz com que a unha cresça de forma anormal, engrosse e escame, além de perder a cor. Também surgem depressões puntiformes ou manchas amareladas. Em alguns casos, a unha pode descolar da carne ou esfarelar.

Psoríase Pustulosa – É uma forma rara da doença, quando aparecem manchas em todas as partes do corpo ou se concentram em áreas menores, como pés e mãos. As manchas se desenvolvem rapidamente, com a formação de bolhas cheias de pus poucas horas depois da pele ficar avermelhada. As bolhas costumam secar dentro de um ou dois dias, mas podem reaparecer durante vários dias, acompanhadas de um quadro de febre, calafrios, fadiga e coceira intensa.

Psoríase Eritrodérmica – Também é um tipo raro da doença, com acometimento de 75% do corpo ou mais, com manchas vermelhas que podem coçar ou arder de forma intensa, além de levar à manifestações sistêmicas.

Psoríase Artropática ou Artrite Psoriásica – Está relacionada a qualquer forma clínica da psoríase. Além de apresentar inflamação na pele e descamação, também pode causar dores fortes nas articulações e rigidez progressiva.

Psoríase Palmo-plantar – Caracterizada por lesões que aparecem em forma de fissuras nas palmas das mãos e nas solas dos pés.

Atualmente, existem vários tratamentos para os tipos de psoríase. Todos possuem como objetivo reduzir a inflamação e formação das placas, para impedir o crescimento acelerado das células da pele; e regular a aparência da pele.

Existem três opções de tratamento: tópico (cremes e pomadas), sistêmico e por fototerapia. A escolha do tratamento mais apropriado será sugerida pelo médico, de acordo com o histórico do paciente e a tipo de psoríase.

Dentre as classes de medicamentos sistêmicos para o tratamento da psoríase, podem ser citados o uso de imunossupressores, que atuam no sistema imunológico com o objetivo de diminuir a capacidade do organismo se atacar; há também indicação de medicamentos biológicos, que consiste no uso de moléculas de natureza proteica, produzidas com o auxílio da engenharia genética, para tratar doenças autoimunes. São indicados, especialmente, em casos resistentes aos tratamentos convencionais; a fototerapia também pode ser indicada, já que atual na exposição cuidadosa da pele à luz ultravioleta ou a PUVAterapia, que utiliza psoralênicos mais fototerapia com ultravioleta A.